“DARABA” Guisado de quiabos.

Olá rainhas

A República do Chade, localizada no norte da África Central, é o tema do meu destino gastronómico este mês.

O quiabo é um dos legumes mais consumidos no Chade. É utilizado tanto para engrossar molhos como na preparação de sopas e guisados. Suponho que ou se adora quiabo ou se odeia, mas como acontece, eu adoro!

Por isso penso que chegou a altura de por o quiabo no centro das vossas atenções.

Vamos fazer um guisado chamado “Daraba”, que é um guisado vegan de quiabos e batata doce. Se tiveres memórias desagradáveis de infância com quiabos, espero que esta receita, ponha os quiabos de volta nas tuas boas graças!

Em vez de despejar tudo na panela e depois finalizar com a manteiga de amendoim como é a receita original, eu gosto de realmente tirar proveito do sabor de cada legume e acho que vale a pena perder um pouco mais de tempo e cuidado com os nossos ingredientes.

Incluí passos extra para cozinhar cada legume separadamente, e depois completar o guisado.

Guisado de quiabos e batata doce “Daraba (Testado)

Serve 6 pessoas.

Este é um maravilhoso guisado vegan que é muito fácil de fazer. Em cerca de 30 a 40 minutos vais estar sentada a comer um delicioso e reconfortante guisado. A manteiga de amendoim misturada no final, junta realmente todos os componentes do guisado.

Serve com arroz branco.

Ingredientes

2 colheres de sopa de óleo vegetal bio

1 cebola média picada

2 dentes de alho ralado

1 beringela com pele cortada em cubos

3 tomates pequenos cortados em cubos

1 batata doce grande cortada em cubos

1 cubo de caldo de vegetais vegan bio (opcional)

2 a 3 colheres de chá de sal

1/2 colher de café de flocos de chili

20 quiabos frescos fatiados

250g de acelga picada (também pode ser espinafres)

120g de manteiga de amendoim

Instruções

Saltear a cebola com uma colher de sopa de óleo durante 5 minutos, até amolecer. Adicionar o restante óleo e depois a beringela, refogar por mais 5 minutos. Acrescentar os tomates, e cozinhar durante alguns minutos até os tomates começarem a desfazer. Adicionar a batata doce juntamente com 1L de água. Acrescentar as especiarias e deixar ferver durante 15 minutos. Acrescentar os quiabos as verduras e cozinhar em lume brando durante 5 minutos. Colocar a manteiga de amendoim numa pequena tigela e adicionar 120ml de água quente, e misturar muito bem até até obter uma consistência cremosa e adicionar ao guisado.

Deixa ferver em lume brando durante mais 5 minutos.

Serve com arroz branco.

Espero que gostem. Cá em casa foi um sucesso!

Bom apetite!

A luta pela celebração

Coloca consistentemente o teu melhor pé para a frente, sem esquecer ou desvalorizar  o processo e as lições da viagem. Isso é muito importante.

Dedico este post a todas as mulheres do mundo que lutam para se celebrar a si próprias.

Todos os nossos êxitos e realizações independentemente do caminho percorrido para os alcançar, dos julgamentos ou criticas, são válidos e importantes.

Embora  grande parte das vezes, nos sentimos como se a coroa que usamos estivesse lascada, demasiado grande, e por vezes demasiado pesada para ser transportada, nós e as nossas conquistas são para ser valorizadas.

Por vezes permitimos que a nossa ansiedade ultrapasse a nossa criatividade e a nossa própria felicidade. Pode ser duro quando deixamos que as vibrações de ansiedade, dúvida e cansaço nos passam frequências negativas,  nos deitam a baixo, fazendo-nos acreditar que as nossas próprias celebrações não importam.

Brincar de super mulher está na nossa natureza. Está enraizado em ti para ajudar, curar, cuidar, amar e ouvir os outros, mas quem é a tua super mulher?

Podes ser tu se  o permitires. Podes dar a ti própria os jantares surpresa, afirmações positivas e palmadinhas nas costas por alcançar um marco miliário, independentemente do peso.

Não importa quão pequena seja a realização ou quão grande seja o fracasso. O primeiro passo é reconhecer que te esforças por ir em direção a algo que desejas. Pode ser difícil  nadar num mar de arrependimento ou tropeçar nas nossas palavras, mas o que mais importa é que tentaste. Eu ainda estou a tentar.

Lutar pelo o perfeccionismo é algo que tem causado bloqueio na minha própria viagem de celebração; por isso estou a escrever esta carta para partilhar que há beleza na imperfeição. Embora possa ser difícil de ver, há sempre alguém  que acha a tua coragem, força e compaixão motivadoras, por isso não diminuas a tua própria luz.

Lembra que  as tuas realizações não são medidas por quantos aplausos recebes, quantos “gostos” ou comentários são publicados, porque as tuas realizações não são verdadeiramente definidas pelo quanto a outra pessoa as aceita.

Muitas vezes silenciamos as nossas realizações, por medo de brilhar mais do que outra pessoa ou de ser criticado por ter a motivação e a coragem de ir em direção a algo que queremos.

Não sejas uma vítima de auto sabotagem.  Celebra a tua alegria e a necessidade de quereres ver as tuas realizações realizarem-se. Que sensação maravilhosa que isso é!

Há valor em refletir sobre o quão longe chegaste. O crescimento feito ao longo dos anos, os hábitos que se quebraram, relações que terminaram, a toxicidade e a negatividade a que viramos as costas, ajudou-te a elevar-te a novas alturas,  e só por isso merece uma celebração.

Coloca consistentemente o teu melhor pé para a frente, sem esquecer ou desvalorizar  o processo e as lições da viagem.  Isso é muito importante.

Celebra-te mais. Reconhece as tuas realizações mesmo que sejam pequenas.

Beijinhos minhas rainhas

Assinado,

Uma mulher negra que trabalha para se celebrar, celebrar a sua coroa e todos os fracassos que fazem com que os sucessos valham a pena!

Sinais de direção.

Muitas vezes com a correria do dia a dia, deixamos passar sinais que poderiam mudar significativamente a nossa vida.

Olá Rainhas.

Na correria do dia a dia é muito comum fazermos as tarefas em “piloto automático” e nos esquecermos de prestar atenção ao que acontece à nossa volta, principalmente nos sinais que recebemos do universo.

Acredito profundamente em mensagens que nos são apresentadas pelo o universo. Repostas ás nossas indecisões, duvidas e perguntas.

Por vezes enquanto andamos pelas ruas, levantamos a cabeça e olhamos para cima ou para o lado, quando não é hábito de o fazer. Acontece precisamente naquele momento daquela pergunta interna e lá está, uma pequena indicação para nos orientar.

As mensagens podem nos surgir de várias formas e maneiras e serão sempre algo que nos é familiar para nos ajudar a reconhecê-las e a interpretá-las. São símbolos, palavras, frases, números repetidos, a letra de uma música que raramente ouvimos e até a abertura de um livro numa página específica.

Mensagens que nos guiam e que nos motivam, pequenas mas diretas informações na dose certa. No entanto nem todos conseguem ver ou interpretar as mensagens subtis. É preciso prestar atenção, ser observador e recetivo á ideia que existe algo maior e mais grandioso que nós e que todos estamos ligados.

Uma certa manhã, abri a página de um blog e tive de “travar” para ler com mais atenção um post que me chamou a atenção logo na primeira frase do inicio ao fim.

Ajeitei-me na cadeira da minha secretária e inclinei-me para trás até sentir as minhas costas aconchegadas no encosto da cadeira.

Li com gosto e voltei atrás nalguns excertos. As suas descrições eram-me familiares. Este post “falou” comigo e eu fiquei agradecida por ter cruzado com este blog. Precisava daquelas palavras, daquela orientação, naquele momento.

Muitas vezes com a correria do dia a dia, deixamos passar sinais que poderiam mudar significativamente a nossa vida.

Ás mulheres que conheço, digo sempre para estarem atentas ao que as rodeia e para acreditarem que nos são dadas pequenas indicações ás nossas perguntas, grande maioria das vezes. Só precisamos de estar atentas.

Quando estamos atentas, o universo invariavelmente nos envia mais informações para nos orientarmos.

Lembrem-se de prestar atenção nos sinais do Universo.

Espero que o Universo conspire em vosso favor.

Beijinhos Rainhas.

%d bloggers like this: